Notícias

Entenda por que algumas praias de SC ficaram totalmente impróprias para banho neste verão

Em dezembro, chuva acima da média desafiou capacidade dos sistemas de esgotos. Falta de saneamento básico também é apontada como causa para chegada de contaminação ao mar.

Algumas das praias mais procuradas em Santa Catarina encaram um desafio em relação à qualidade da água do mar nesta alta temporada de verão. A Praia Central de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, está desde 30 de novembro do ano passado totalmente imprópria para o banho, segundo análise do Instituto do Meio Ambiente do estado (IMA).

Em Canasvieiras, uma das praias mais movimentadas de Florianópolis, as análises apontam que o mar deve ser evitado pelos banhistas. Desde 26 de dezembro, todos os oito pontos examinados estão impróprios.

Também na capital, em Ingleses, apenas um local um local, em frente à Rua Morro das Feiticeiras, está com mar próprio para banhistas desde o Natal. O IMA analisa sete pontos em Ingleses, no total.

A situação melhorou um pouco em Itapema, no Litoral Norte, que agora tem metade dois oito pontos analisados próprios para banho. Mas a praia ficou de 19 de dezembro a 16 de janeiro totalmente imprópria.

Além disso, praias como Bombas e Bombinhas e a Praia Brava em Itajaí, todas no Litoral Norte, tiveram pontos impróprios.

O cenário neste mês é o pior dos últimos cinco anos em algumas praias. Na de Balneário Camboriú, não houve em janeiro dos anos anteriores um momento em que todos os pontos estivessem impróprios para banho ao mesmo tempo, segundo os relatórios do IMA. Em 2023, o resultado mais recente sobre a balneabilidade da Praia Central é do dia 23. Todos as análises de janeiro apontaram todos os pontos impróprios.

Em Canasvieiras, também não houve, nos últimos cincos anos, momentos em janeiro com todos os pontos impróprios ao mesmo tempo. Em 2019, inclusive, janeiro foi muito positivo, com todos os locais analisados próprios para banho nas cinco semanas em que houve coleta no mês, com uma única exceção. Em 2021, quase todos os exames também foram positivos no primeiro mês do ano, mas é preciso considerar que aquela temporada ocorreu em um momento mais crítico da pandemia da Covid-19, e havia menos banhistas.

Confira os tópicos que você vai encontrar nesta reportagem:

Chuvas
Contaminação
Saúde pública
O que dizem as prefeituras
Dezembro com chuva acima da média
Um dos principais fatores que afetaram a balneabilidade das praias neste verão foi a forte chuva que atingiu o estado em dezembro. De acordo com a Defesa Civil, na Grande Florianópolis e no Litoral Norte, choveu próximo de 400 milímetros em dezembro, sendo que a média do mês é de 200 milímetros.

Com isso, o estado registrou estragos. Houve alagamentos, deslizamentos, danos em estradas e residências e sete mortes.

No caso da balneabilidade, o alto volume lavou galerias, submergiu redes coletoras de esgoto e foi além da capacidade das estações de tratamento, explicou Marlon Daniel da Silva, responsável técnico que atua na Gerência de Laboratório e Medições Ambientais do IMA. “Foi um caos total que refletiu lá na ponta, no mar”, resumiu.

Avatar

Staff - OBV

About Author

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode gostar

Notícias

Foragido pela morte de delegado aposentado em bar morre em confronto com a polícia em SC

Um dos dois foragidos investigados pelo latrocínio de um delegado aposentado em um bar de Criciúma, no Sul catarinense, foi
homicidio-sao-jose
Notícias

Empresário de salões de beleza de luxo é suspeito de matar a tiros cliente de bar em SC

Um cliente de uma loja de conveniências foi baleado e morreu em São José, na Grande Florianópolis, após uma discussão