Anuncie aqui!
Publicado há 18:19 | Atualizado em 13/03/18 às 12:03

Cassado os mandatos do prefeito e vice e três vereadores de Laurentino

A justiça eleitoral cassou os diplomas do prefeito de Laurentino, Gilberto Marchi e do vice, Vitor Nardelli, ambos do PSDB. Também foram cassados os diplomas dos vereadores:  Adenilson Campestrini, conhecido como Mão do (PSDB) e Tânia Aparecida da Silva Schlemper (PSL) e do  suplente de vereador Armelindo Tonet (PSD). 

Na decisão, o Juiz  Geomir Roland Pau, da Comarca de Rio do Sul, decretou a perda dos mandatos de Prefeito e Vice‐Prefeito, respectivamente.  Em consequência da cassação do prefeito e do vice‐prefeito,  após o trânsito em julgado da sentença, deverão ser realizadas novas eleições no Município de Laurentino,

A justiça decretou a inelegibilidade pelo período de oito anos, a partir das eleições de 2016, dos dois mandatários, além de aplicar multas.

Na mesma decisão, o juiz cassou os diplomas de Tânia Aparecida da Silva Schlemper, Ademilson Campestrini e
Armelindo Tonet (suplente), decretando‐lhes a perda dos mandatos de Vereador. Também foi decretada a inelegibilidade pelo período de oito anos, a partir das eleições de 2016, dos mesmos.

Armelindo Tonet

As condenações são resultado da “Operação CNH”, deflagrada em 11 de outubro de 2016, e apurava irregularidades na Ciretran de Rio do Sul. Mais de 100 pessoas viraram réu no processo.

A operação aconteceu logo após o pleito municipal e desvendou um esquema que consistia na facilitação na emissão de Carteira Nacional de Habilitação em troca da captação de votos.

Na ocasião, foram e cumpridos seis mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão nos municípios de Laurentino e Rio do Sul.

Os crimes contra a administração pública, envolveram servidores do CIRETRAN de Rio do Sul e uma vereadora do  Município de Laurentino, que ficou um curto período presa na época.

Scharles Davico Schlemper, Scharles Davico Schlemper Filho, Patrícia Pereira Batista, Jairo Bonezzi, Alex Perin Abércio Uller, Ildo José Cani, também foram arrolados no processo e estão impedidos de disputar eleição pelos próximos oito anos.

Scharles Davico Schlemper e Scharles Davico Schlemper Filho também foram condenados a pagar multa. Já os réus: Elcio Luiz Bonacolsi, Osnildo Pedro Schmidt, Claudio Tonet e Coligação “A Mudança na Mão do Povo” , por insuficiência de provas robustas quanto a sua participação em  relação aos fatos ilícitos imputados, foram absolvidos.

A operação, que resultou na condenação dos envolvidos,  foi realizada com o apoio da Agência de Inteligência do 13º Batalhão de Polícia Militar, da Polícia Civil de Rio do Oeste, do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do Instituto Geral de Perícias (IGP), e do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN), de Analistas do Centro de Apoio Técnico do MPSC (CAT) e de Policiais Militares do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT).

TEXTO: Alexandre Salvador

 sentença Laurentino.pdf

 

Prefeito e vice