Anuncie aqui!
Publicado há 09:49 | Atualizado em 09/03/18 às 06:03

Lidiane Leite conta o que motivou a gravar o vídeo para a Rede Globo

A Oficiala da Infância e Juventude na comarca de Taió Lidiane Leite, bacharel em direito pela UFSC e conciliadora/mediadora judicial, teve seu vídeo divulgado na campanha “Que Brasil você quer para o futuro?”, da Rede Globo de Televisão, selecionado pela emissora, o vídeo foi exibido no início da tarde da última terça-feira (6/3), durante a apresentação do Jornal Hoje.

Lidiane contou ao Jornal O Barriga Verde, como foi a experiência. A primeira dificuldade foi resumir um texto que ela escreveu, já que o vídeo deveria ter no máximo 15 segundos.

Depois foi achar um lugar que identificasse a cidade, a primeira gravação foi na Ponte Roberto Machado, a única estaiada em madeira do Brasil. Mas prevaleceu a imagem da Pracinha com a igreja Cristo Rei aos fundos.

“As pessoas estão perguntando o que me motivou a gravar o vídeo e o que mais poderia ser interpretado nas entrelinhas da minha exposição. A minha curta fala que foi ao ar foi a seguinte: ‘Eu quero um Brasil de paz, de esperança e de amor, porque filhos do amor aceitam as diferenças. Eu quero um país limpo, livre, com brasileiros instruídos e honestos.’

Quando a Rede Globo iniciou a campanha ‘O Brasil que eu quero para o futuro’, muitas pessoas compartilharam mensagens negativas, instigando inclusive uma manifestação contrária para que todos encaminhassem vídeos mostrando apenas as coisas ruins e erradas que existem nas nossas cidades, mostrando o descaso com as políticas públicas, a sujeira, a insatisfação e a carência de recursos básicos.

Concordo que as coisas precisam melhorar e que realmente há muito de negativo a ser mostrado, não só nas nossas cidades, mas no Brasil e no mundo, no entanto, no momento em que fui ‘tocada’ a falar sobre o que ‘eu’ gostaria para o futuro do Brasil, não concordei em falar sobre coisas ruins. Sou uma pessoa positiva, que acredita e procura fazer o bem. Pensei, de imediato, que são os nossos filhos que estarão vivendo no futuro do Brasil e que, talvez, muitos de nós ainda estarão aqui para viver um país melhor.

Um Brasil de paz, onde a paz deve iniciar dentro da nossa própria casa, na família, na escola, na sociedade, no nosso ambiente de trabalho. Um Brasil de esperança, onde as pessoas possam acreditar nos seus ideais. Um Brasil de amor, pois aqueles que são criados no amor praticam e manifestam o bem, além de aceitarem com mais facilidade as diferenças entre as pessoas. Um país limpo não só na questão da higiene/saúde, mas no aspecto ético e moral. Todos livres e iguais, na medida de suas desigualdades. Acredito que investir na instrução das pessoas é o caminho certo, pois a educação é grande aliada da moralidade e da honestidade.

ASSISTA NO JORNAL HOJE