Publicado há 1 semana atrás | Atualizado em 17/07/17 às 03:07

Produção de energia com dejetos de suínos ganha impulso

O governador Raimundo Colombo recebeu na tarde desta terça-feira, 11, no Centro Administrativo, em Florianópolis, documento do Comitê SC Biogás que resume o trabalho realizado para elaboração do plano SC Biogás. O objetivo é produzir energia alternativa, principalmente por meio de dejetos de suínos, para retirar do meio ambiente a biomassa produzida pela indústria agropecuária.

“Acredito muito na importância de projetos como esse para o desenvolvimento econômico do Estado e ainda para a preservação do meio ambiente. Temos que fazer o negócio se tornar economicamente viável porque é um caminho novo para o agronegócio”, disse o governador.

 

Por meio do Programa SC Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, foi contratado, com financiamento do Banco Mundial, serviços de consultoria de três empresas para fazer o diagnóstico do potencial de geração de biogás em Santa Catarina, localizando os pontos de maior geração de dejetos. As regiões de Concórdia e Braço do norte, por exemplo, estão à frente na produção de dejetos suínos, enquanto Biguaçu tem grande fonte de matéria-prima a partir dos resíduos sólidos. A prospecção também detectou os potenciais segmentos e grupos de consumidores deste tipo de energia, estudando as redes de distribuição, geração e aproveitamento do biometano.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, destaca que o projeto vem ao encontro de uma necessidade de Santa Catarina. “Nós temos uma fonte energética que nós ainda não estamos aproveitando e que é importantíssima. E temos um Estado que cresce na produção de suínos, na produção de leite, na produção de aves e cada vez mais temos o compromisso de trabalhar, também, respeitando o meio ambiente”.

O comitê é formado pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, representada pelo deputado Natalino Lázare; Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fundação do Meio Ambiente (Fatma), Secretaria de Estado do desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Associação de Produtores de Energia de Santa Catarina (Apesc). “Eu não tenho dúvida nenhuma que o Governo do Estado vai lançar mais um programa importantíssimo para a economia do Estado”, concluiu Sopelsa.